Headache LogoAHS Logo

Cefaliatria no Brasil | Headache Medicine in Brazil

Guest Editor: Marcelo M. Valença, MD, PhD, Federal University of Pernambuco, Recife, Brazil

Cefaliatria no Brasil

Headache Medicine in Brazil

 

A Sociedade Brasileira de Cefaleia e seus membros atingiram nos últimos anos um patamar de maturidade que nos faz vislumbrar um futuro muito promissor. A concepção da ideia da criação da sociedade foi de Edgard Raffaelli Júnior, que em 1976, em um encontro com Wilson Farias da Silva e Gilberto Rebello de Mattos decidiram começar a empreitada de agregar especialistas para se melhor estudar esta área da Medicina ainda “tão esquecida”. Eles foram provavelmente os primeiros que iniciaram uma prática clínica voltada ao diagnóstico e tratamento da cefaleia na America Latina, escrevendo os primeiros trabalhos sobre o tema. O primeiro livro sobre diagnóstico e tratamento da cefaleia foi publicado no Brasil em 1988, pelo professor Farias da Silva, que muito publicou em cefaleia, porém em língua portuguesa. Anos antes (1981) Gilberto Mattos publicou um livro sobre migrânea. Ainda hoje a maior parte das publicações brasileiras em cefaleia se faz na língua portuguesa, o que limita a ampla divulgação fora do país do conhecimento gerado no Brasil. Entretanto, nos últimos anos o Brasil já se destaca como o terceiro país que mais tem publicado artigos no Headache.


Hoje são muitos os grupos que se dedicam à cefaleia, espalhados em várias cidades no Brasil, com destaque para Ribeirão Preto, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Curitiba e Porto Alegre. Dezenas de jovens pesquisadores estão realizando estudos em cefaleia como tema de tese de doutorado em várias das Universidades Brasileiras, e em breve vão ampliar o quadro de especialistas prontos para gerar conhecimento e publicar seus resultados em periódicos de alto impacto científico. Muitos dos nossos cefaliatras realizaram treinamento em centros especializados na America do Norte e na Europa. A internacionalização das universidades brasileiras é meta atual do governo, visando aumentar a visibilidade da produção cientifica nacional. Nesse sentido, em 2010 criamos o jornal Headache Medicine, com o objetivo de publicar artigos nacionais em língua inglesa.


Com a tecnologia avançada que já dispomos na área médica, colaboração internacional, novas ideias e a geração de novos conhecimentos, vejo que em futuro muito próximo devemos alcançar posição de maior destaque no cenário da Cefaliatria mundial.

Further Reading: 

Chronic Pain and Depression in the Quality of Life of Women with Migraine - A Controlled Study

Prevalence and Burden of Headaches as Assessed by the Health Family Program

Headaches and academic performance in university students: a cross sectional study

Which patients with headache do not seek medical attention?

The prevalence of migraine and probable migraine in a Brazilian favela

Topiramate vs Divalproex Sodium in the Preventive Treatment of Migraine: A Prospective “Real-World” Study

Chronic headache and comorbibities: a two-phase, population-based, cross-sectional study

Prevalence of headache on the entire population of a small city in Brazil

A Nationwide Population-Based Study of Tension-Type Headache in Brazil

Professor Aristides Leão. Much More Than Spreading Depression

Patients' Preference for Migraine Preventive Therapy

An anthropological study about headache in native cultures from Central and South America

Headache Medicine in Brazil

Virtual Issue compiled 21 June 2012

Return to Virtual Issues Homepage

Search the Site

Search

 

Site Adverts

INTRODUCING THE HEADACHE  iPAD APP! 

 Follow the journal <i>Headache</i> on Twitter